Agência UFC

Ciências

Programa de Educação Ambiental leva visitantes ao rio Pacoti

O programa é uma ação de extensão criada em 1988 e que, até hoje, tem importante papel na promoção da educação ambiental

Marílila Torres

Do Blog Divulgando a Extensão

A poucos quilômetros de Fortaleza, próximo à Praia do Porto das Dunas, há um cenário paradisíaco: o encontro do rio Pacoti com o mar. Neste lugar, desenvolvem-se as atividades do Programa de Educação Ambiental Marinha (PEAM). O programa é uma ação de extensão da Universidade Federal do Ceará criada em 1988 e que, até hoje, tem importante papel na promoção da educação ambiental.

A motivação para fundar o programa foi a grande procura de alunos e professores por assuntos relacionados ao meio ambiente e ao material biológico da fauna marinha e estuarina (área onde um rio se encontra com o mar) para apresentações e exposições nas feiras de ciências realizadas nas instituições de ensino. Assim, o PEAM surgiu a fim de desenvolver práticas de educação ambiental, enfatizando problemas socioeconômicos que afetam o meio ambiente. Desde 1992, é coordenado pela servidora Núbia Gomes Lima Verde, engenheira de pesca e técnica da UFC.

As atividades do PEAM funcionam através de visitas às escolas públicas e privadas ou à própria sede do programa, localizada no Centro de Estudos Ambientais Costeiros – CEAC/UFC, situado às margens do estuário do rio Pacoti, no município de Eusébio.

Durante as visitas, são realizadas palestras educativas sobre o meio ambiente e os impactos gerados pelas ações humanas nos ecossistemas. Além disso, há também a apresentação de documentários e/ou animações (de acordo com a faixa etária do público atendido), visitação ao acervo biológico (fauna marinha e estuarina), apresentação do aquário com organismos marinhos e trilha ecológica que leva ao estuário do rio Pacoti, conhecendo toda a área de manguezal.

Dependendo do tempo de duração da visita e da maré do dia, é possível realizar passeios de caiaque ou stand-up paddle (surfe com remo). Por fim, ocorrem também dinâmicas educativas com material confeccionado artesanalmente pela equipe.

Estudantes caminham em trilha entre árvores (Foto: Mozart Lucena)

Programa leva estudantes para conhecer a região do rio Pacoti (Foto: Mozart Lucena)

Além dessas visitas, o PEAM também realiza atividades em parceira com algumas instituições. Em 2017, por exemplo, foram promovidos eventos como o “Aflorar”, em parceria com o SESC; “Pra curtir o Pacoti”, com apoio da Fundação Alphaville; “Blitz Ecológica”, com a Secretaria do Meio Ambiente do Ceará; “Semana do Meio Ambiente”, em parceria com o Parque Vivo; exposição na “Semana do Mar”; exposição no Zoológico Municipal Sargento Prata, além de visita  ao CEAC de alunos noruegueses da A+World Academy, uma escola de ensino médio cujas aulas são ministradas em um navio.

No ano passado, o PEAM contou com a participação de cerca de 2.500 pessoas, dentre escolas da rede pública e privada, ONG’s, turistas, grupos especiais, comunidade universitária, grupos de terceira idade, entre outros.

Para Karolyne Ferreira Sales, aluna do Curso de Ciências Ambientais e bolsista do projeto, o PEAM é capaz de promover um retorno não só para os visitantes, mas também para os universitários. “O seu aprendizado torna-se mais rico, pois o aluno sai da teoria para viver na prática a questão da educação ambiental, além de acontecer uma troca de conhecimentos entre sociedade e universidade”, relata a estudante.

Karolyne fala ainda de sua experiência pessoal enquanto bolsista: “Sinto-me muito honrada em fazer parte desse programa que, por meio da Educação Ambiental, vem despertando o senso crítico individual e coletivo para a questão ambiental, buscando a conscientização e os cuidados que a comunidade deve ter com o meio ambiente”.

A coordenadora Núbia Gomes Lima Verde está à frente do PEAM há 25 anos e diz que é grande a motivação para continuar. “Desde 1992, estou no Programa de Educação Ambiental Marinha. Eu já poderia estar aposentada, mas, por amor e dedicação a esse trabalho lindo e de grande colaboração à sociedade, continuo atuando. É muito gratificante coordenar esse programa”, conclui a servidora.

COMO PARTICIPAR?

Qualquer interessado em conhecer o projeto pode participar. Os alunos universitários interessados podem também contribuir como bolsistas ou voluntários. A programação ocorre de segunda a sexta-feira e as visitas acontecem através de agendamento antecipado, que pode ser feito por telefone ou pela página no Facebook.

SERVIÇO

Telefones: (85) 98737 5683 – Núbia Gomes Lima Verde, coordenadora do programa; (85) 99757 6710 – Karolyne, bolsista, e (85) 98543 7396 – Elissandra (voluntária).

Facebook: facebook.com/educacaoambientalmarinha2014/

 

 

Agência UFC 4 de outubro de 2017

Assuntos relacionados

Carro branco com cano de escapamento saindo fumaça (Foto: Ribamar Neto/UFC) Projeto inovador no Brasil estuda o impacto de Zonas de Baixa Emissão na poluição de Fortaleza

A pesquisa simulou a criação de uma medida restritiva de tráfego para reduzir a concentração de poluentes através da evolução da tecnologia veicular

Agricultor sentado em meio à plantação de feijão, tocando as plantas (Foto: Jr. Panela/UFC) Pesquisa melhora geneticamente o feijão-de-corda

Uma das principais metas dos pesquisadores é criar um cultivar autoral de feijão-caupi na UFC, com o estabelecimento de patentes

Imagem mostra pesquisadora em primeiro plano, de costas, olhando tela de computador. Na tela, é possível ver a imagem aérea de um açude, com vegetação em parte do espelho d'água. (Foto: David Motta/UFC Informa) Açudes no Ceará perdem cerca de 2,4 bilhões de litros de água por dia para evaporação, estima pesquisa

Estudo da UFC identifica que perdas nas bordas de açudes com vegetação preservada são até 30% menores do que em áreas degradadas