Agência UFC

Ciências

A técnica de plastinação no estudo de anatomia

A UFC é a única universidade do Nordeste com laboratório voltado a esse tipo de conservação, que utiliza o silicone ao invés do formol

Trabalhar com órgãos humanos e de animais é parte essencial nos estudos de anatomia. Para tanto, técnicas de conservação são indispensáveis, como a plastinação, que utiliza o silicone para preservar o material. E a Universidade Federal do Ceará é a única instituição de ensino no Nordeste a contar com um laboratório dedicado à técnica.

A plastinação leva vantagem sobre as técnicas que se utilizam do formol, que tem alta toxicidade e pode ser cancerígeno. Além disso, com o silicone, o tempo de conservação é bem mais longo, garantindo maior durabilidade ao material.

Entenda como a técnica funciona na reportagem da UFCTV.

 

Agência UFC 25 de outubro de 2017

Assuntos relacionados

Imagem lembra folhas verdes se desprendendo de um caule (Imagem: Vandbergue Santos Pereira; Ana Raquel Colares de Andrade e Rossana de Aguiar Cordeiro) Desvendando o universo microscópico

Projeto de extensão apresenta mundo da microscopia a estudantes e propõe aliança da ciência com a arte

Orla da praia do Futuro com manchas marrons (Foto: Divulgação) O que são as manchas marrons na praia do Futuro?

Pesquisadores da UFC estudam a relação do fenômeno no litoral cearense com o período chuvoso e a intensidade de ondas e marés

Cápsulas de LCC em cor negra (Foto: Viktor Braga/UFC) Líquido da casca da castanha-de-caju: aplicações vão da tecnologia ao tratamento de doenças

Constituintes do LCC são usados no desenvolvimento de sensores e dispositivos eletroquímicos e ainda no combate à leishmaniose e à dengue; veja na segunda reportagem sobre o líquido