Agência UFC

Sociedade e Cultura

Projeto promove visitas guiadas ao Parque Parreão

Ação interdisciplinar da UFC leva conhecimento e consciência ambiental através de caminhadas informativas por uma das principais áreas verdes da cidade

Você sabia que no bairro de Fátima está localizado um dos espaços ecológicos mais importantes de Fortaleza? Em 2019, o Parque Parreão completa 26 anos de existência e, atualmente, conta com uma iniciativa de valorização ambiental e histórica criado pela Universidade Federal do Ceará: o Pró-Parreão.

O projeto, existente desde 2015, leva informações sobre o parque através de caminhadas pelo local. Mensalmente, estudantes, turistas e moradores do entorno são guiados a passeios informativos pelas trilhas do Parreão. Durante a ação, os participantes têm a oportunidade de conhecer aspectos históricos e biológicos do equipamento ambiental e de lazer, previamente pesquisados pelo grupo extensionista.

Dominik Fontes, servidora da UFC e colaboradora do projeto, fala sobre a importância do Parreão para a cidade: “É um parque com uma fauna e flora muito rica, e por ser localizado em uma área urbanizada, tem uma importância ecológica muito grande, como, por exemplo, na diminuição de CO2”. Segundo ela, o objetivo fundamental do projeto é fazer com que a população conheça o espaço, aproprie-se dele e passe a frequentá-lo.

Pessoas sentadas no anfiteatro do parque, acompanhando a explicação da coordenadora do projeto (Foto: Luana Oliveira/PREX-UFC)
O Parque Parreão completa 26 anos de inauguração em 2019; já o projeto Pró-Parreão existe desde 2015 (Foto: Luana Oliveira/PREX-UFC)

Para Aparecida Ferreira, estudante de Enfermagem e visitante do projeto, as informações obtidas durante o passeio, embora não sejam da sua área de atuação, são de extrema importância. “O conhecimento que aprendi hoje não é específico do meu curso, mas é algo que pode ser para outras áreas da vida”, afirma a estudante. A universitária percebe a relevância da divulgação do projeto. “É muito importante a nossa participação como universitário para levar a existência desse projeto a outras pessoas”.

O PARQUE

O Parreão está localizado na Rua Martinho Rodrigues, entre as avenidas Borges de Melo e Eduardo Girão, atrás do Terminal Rodoviário Engenheiro João Thomé. Trata-se de um parque municipal criado pelo Decreto nº 8.890, de 25 de agosto de 1992, e inaugurado em 1993. São 31.582 metros quadrados de área verde com variadas espécies e um riacho. Além disso, o espaço conta com um anfiteatro, casa de apoio e um coreto, disponíveis para apresentações artísticas e culturais. Em setembro de 2014, o equipamento passou por uma reforma com vistas à revitalização.

Pessoas paradas em frente a uma árvore, observando alguns aspectos do parque (Foto: Luana Oliveira/PREX-UFC)
Durante a ação, os participantes têm a oportunidade de conhecer aspectos históricos e biológicos do equipamento ambiental e de lazer, previamente pesquisados pelo grupo extensionista (Foto: Luana Oliveira/PREX-UFC)

Segundo Pedro Rocha Filho, atual administrador do parque, o Parreão é de responsabilidade da Autarquia de Paisagismo e Urbanismo de Fortaleza (URBFor), responsável pela limpeza do local e podação das árvores. O servidor informa que o perfil dos visitantes é variado, mas que, em geral, são idosos e turistas. “Se eu morasse aqui perto, todo dia estava fazendo caminhada por aqui”, afirma o servidor.

EXTENSÃO

O Pró-Parreão também é uma oportunidade de inserir os estudantes na extensão. Por ser um projeto interdisciplinar, existe a contribuição de várias áreas de estudo. “O aluno, quando entra no projeto se identifica com algum tema e pensa no que ele pode trazer da área dele para o projeto”, afirma a colaboradora Dominik Fontes.

Ronis da Silva é estudante de Engenharia Civil e um dos bolsistas do Pró-Parreão. Ao entrar no projeto, o universitário percebeu que faltava um tipo de orientação para os visitantes do local e iniciou o desenvolvimento de um mapa. “Quando visitei o parque, senti falta de uma orientação, (…) então comecei a fazer o georreferenciamento das árvores e junto disso estou criando o mapa do parque”, explica.

Lago que passa por dentro do Parque Parreão (Foto: Luana Oliveira/UFC)
O parque tem 31.582 metros quadrados de área verde com variadas espécies e um riacho de mesmo nome; possui ainda anfiteatro, casa de apoio e um coreto, disponíveis para apresentações artísticas e culturais (Foto: Luana Oliveira/PREX-UFC)

Além das ações, o projeto desenvolve pesquisas. Já foi tema do TCC de uma aluna de Biologia, cujo trabalho enfocou o roteiro das caminhadas realizadas, adaptadas a deficientes visuais. Segundo a organização, existe uma previsão, ainda para este semestre, da aplicação prática do estudo. Dentre outras pesquisas, estão a de catalogação de insetos, realizada também por um estudante de Biologia.

SERVIÇO

As ações do projeto são gratuitas e acontecem mensalmente, aos sábados. Qualquer grupo, escolar ou não, pode solicitar uma visita ao parque, por meio das redes sociais do projeto. Para as visitas, o projeto recomenda usar roupas leves e levar água e lanche. Mais informações pelo telefone (85) 3366 8045 ou e-mail proparreao@gmail.com, bem como pelas páginas no projeto no Instagram e no Facebook.

Ely Eulle Viana, sob supervisão de Narjara Pires

Fonte: Projeto Pró-Parreão – e-mail: proparreao@gmail.com / fone: (85) 3366 8045

Agência UFC 19 de setembro de 2019

Assuntos relacionados

Pessoas utilizam equipamentos em parede de prédio histórico para análise Pesquisadores da UFC analisam riscos de abalos sísmicos a prédios históricos do Ceará e elaboram método com aplicação nacional

Laboratório de Reabilitação e Durabilidade das Construções (LAREB) da UFC realizou análise do patrimônio histórico das cidades de Sobral e Aracati, regiões que sofrem maiores efeitos de terremotos no Estado

Mãe segura mão da filha no contraluz (Foto: Elza Fiuza/Ag. Brasil) Crianças de lares violentos têm mais chance de sofrer violência doméstica adultas

Pesquisa revela que 40% das mulheres que cresceram em lares violentos também sofreram violência na vida adulta

Homem usando equipamento de eye tracking, olhando para computador (Foto: Ribamar Neto/UFC) O segredo dos nossos olhos

Na UFC, pesquisadoras estudam como a observação do movimento ocular ajuda a entender o processo de leitura e cognição