Agência UFC

Tecnologia

Grafeno, a próxima revolução na tecnologia de materiais

Isolado a partir do grafite por cientistas russos, o material pode ser tão importante quanto o plástico e o silício

De uma substância de composição extremamente simples pode nascer a próxima grande revolução tecnológica. O grafeno é uma camada única de grafite, tão fina que é praticamente transparente e bidimensional. O material foi isolado a partir do grafite pela primeira vez pelos cientistas russos Andre Geim e Konstantin Novoselov, da Universidade de Manchester, na Inglaterra, o que lhes rendeu o Nobel da Física em 2010 e abriu um horizonte quase infinito de possibilidades em áreas tão diversas como computação, engenharia, design, nanotecnologia e medicina.

Por conta de sua estrutura molecular composta por uma folha plana de átomos de carbono, o grafeno consegue ser, ao mesmo tempo, resistente à tração e bastante flexível, além de ter uma ótima condutividade térmica e elétrica.

Essas propriedades podem transformá-lo em algo tão importante para a indústria quanto o plástico ou o silício já foram.

Entenda melhor o potencial do grafeno a partir da explicação do Prof. Antonio Gomes de Sousa Filho, membro do Departamento de Física e Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFC, no quadro Agora Você Sabe, da Rádio Universitária FM 107,9 MHz.

Agência UFC 8 de maio de 2017

Assuntos relacionados

Pesquisador analisa dados de satélites da Funceme em tela de computador (Foto: Viktor Braga/Agência UFC) O cenário do abastecimento hídrico de Fortaleza

Pesquisadores da UFC preveem forte aumento de demanda de água na cidade em 2040 e propõem estratégias de ampliação das fontes hídricas da Capital

Mão de homem apontando para palmas forrageiras (Foto: Cássio Moreira/Codevasf/Banco de Imagens) Uma nova máquina fatiadora de palma

Pesquisadores da UFC desenvolveram equipamento que facilita trabalho de processamento da planta para alimentar gado

Encanamento com chave de registro (Foto: Divulgação) Cooperação internacional na caça aos vazamentos de água

Projeto da UFC em parceria com instituições chinesa e sul-africana consegue informar a quantidade de água perdida e identificar escoamentos que não aparecem na superfície